Mercado financeiro

Mercado financeiro: 6 Dicas para investir

Mercado Financeiro é o lugar onde as negociações de ativos são feitas, como títulos, ações, linhas de crédito ou até mesmo mercadorias.

Esse mercado financeiro conta com dois lados em qualquer uma de suas operações, o do investidor e o do receptor do dinheiro investido.

A empresa ou pessoa que empresta uma quantia em dinheiro e espera receber algum juros por esse ato, seja em dinheiro, bens ou ações em um negócio, é chamada de investidor.

Já a pessoa física ou jurídica que recebe o dinheiro emprestado e paga esses juros quando vai devolvê-lo é o receptor do dinheiro.

Para investir no mercado financeiro, seja para pagar o aluguel de endereço comercial, ou outra coisa, é necessário entender algumas questões como a diferença de investimentos de curto, médio e longo prazo.

Além de conhecer o conceito de dividendos, saber analisar quando a compra de uma ação é um bom negócio e conhecer as melhores dicas para investir com segurança. Veja tudo isso a seguir.

Diferença dos prazos de investimentos

Fazer um investimento seja de curto, médio ou longo prazo, é abdicar de uma quantia do seu dinheiro por um determinado período.

A instituição que recebeu o seu investimento te paga um percentual de juros sobre a aplicação, como recompensa e incentivo pelo investimento. 

É sabido que na dinâmica básica de um plano de investimento quanto mais tempo o dinheiro estiver investido maior vai ser o rendimento dele para adquirir aquele tão sonhado piso elevado de ardósia, por exemplo.

Existe uma divisão distinta para os prazos de aplicações financeiras segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). A diferença de cada uma dessas divisões, estão expostas a seguir:

Curto prazo

Um investimento feito com perspectiva de retorno dentro do período de até 2 anos é chamado de investimento de curto prazo.

Investimentos com rentabilidade de até 2 anos tendem a ser os menos vantajosos. Mas, para quem precisa de dinheiro em um curto prazo é o tipo de investimento mais rentável.

Quando alguém escolhe investir em uma aplicação de curto prazo, precisa optar pelas opções de investimento mais seguras.

Isto porque se o seu objetivo é ter um retorno rápido para investir em um negócio de divisória de drywall para quarto, por exemplo, certamente não vai querer correr riscos de perder o investimento ou atrasar o seu retorno.

Médio prazo

Já um investimento feito com perspectiva de retorno dentro do período de 3 a 10  anos é chamado de investimento de médio prazo.

O que quer dizer que o dinheiro ficará um tempo a mais do que no investimento anterior, isso ajuda a escolher opções de investimento mais arriscadas que podem trazer mais rentabilidade.

Quando um investimento de médio prazo é escolhido, o investidor tem a chance de diversificar seus tipos de investimento, ajeitando o grau de risco do investimento.

Isto porque se o seu objetivo é ter um retorno em 3, 5 ou 10 anos para trocar toda a instalação elétrica básica de uma casa, não terá a necessidade de se recuperar de algum problema imediatamente.

Longo prazo

Diferente dos dois vistos até agora, um investimento feito com perspectiva de retorno dentro do período de 10 anos ou mais é chamado de investimento a longo prazo.

Nesse investimento fica claro que o investidor não tem pressa para acessar as aplicações e irá deixar o dinheiro investido por muito tempo.

Um investidor de longo prazo tem o poder de escolher aplicações extremamente arriscadas mas que serão muito vantajosas e rentáveis em um futuro distante.

Entenda o conceito de dividendos

Dividendo é o nome dado a uma pequena porém importante parcela de lucros da empresa passados para investidores como uma forma de remuneração.

O termo está ligado diretamente à B3 (Bolsa de Valores), e também às organizações que estão dentro do mercado de ações. 

Todas essas empresas têm a obrigação de dividir pelo menos 25% dos lucros com os doadores do investimento, assim como precisam ter um laudo SPDA periodicidade.

Sendo assim, o dividendo pode ser definido como a fatia de um bolo que a empresa em questão produz, e o tamanho dessa fatia se dá de acordo com a quantidade de investimento que você fez nele.

Métodos para analisar ações e fechar um negócio no mercado financeiro

Para analisar se a compra de uma ação será um bom negócio, são usados dois métodos diferentes, para garantir que a escolha será a certa. São eles:

Análise técnica

A análise técnica é recomendada para quem vai fazer investimentos de curto e médio prazo, nas operações de day trade e swing trade.

Que nada mais são do que um estudo envolvendo o volume de negociação que uma ação possui, além do movimento de preços. 

São informações colocadas em gráficos que dão observações minuciosamente para tomar a decisão de fechar ou não o negócio no momento certo.

Análise fundamentalista

Em contrapartida, a análise fundamentalista é recomendada para investimentos em ações a longo prazo, mesmo que use alguns indicadores iguais aos da análise técnica.

Essa análise considera aspectos como visão da empresa, capacidade de crescer no mercado, balanço patrimonial, entre muitos  outros.

Com as informações corretas em mãos, o investidor conseguirá saber se o preço do ativo é o mais adequado ou não é para fechar o negócio.

Dicas para investir com segurança no mercado financeiro 

Depois de entender sobre os prazos de investimentos e como analisar se um investimento vale a pena ou não, seja em uma mangueira PEAD azul, ou na bolsa de valores, chegou a hora de investir.

Mas, antes dê uma olhada nessa lista com 6 dicas para colocar em prática e fazer seu investimento com toda a segurança. 

  1.  Estabeleça objetivos

Sendo assim, é importante definir o porquê de estar fazendo um investimento, óbvio que é para fazer o dinheiro crescer.

Poderia ser para abrir o próprio negócio de pintura de fachada de casas simples, comprar um imóvel ou um veículo novo, fazer uma viagem, estudar, ter uma renda extra, entre outras opções.

Todos são objetivos válidos para um plano de investimento, é importante ter eles em mente para saber o quanto de retorno financeiro será necessário para cumpri-lo.

  1. Determine quanto será investido

Quando tiver todos os objetivos bem definidos, será a hora de determinar quanto será investido em cada um deles. Fazer esse levantamento ajuda a saber quanto de capital será necessário.

Se o investidor, por exemplo, deseja adquirir um imóvel de R$ 200.000 em 20 anos, ele deve fazer as contas para saber quanto vai investir por mês para atingir esse objetivo. 

Pensando nisso, o mais indicado é criar um plano financeiro seguindo à risca, pois com ele é possível fazer o estudo das finanças e identificar tudo o que pode melhorar.

  1. Conheça os tipos de investimentos

Existem dois tipos de investimento para fazer no mercado, os de renda fixa e os de renda variável. Os de renda fixa são normalmente investidos em títulos públicos ou privados.

Que são empréstimos de uma empresa para outra, e em troca ela recebe o que chamam de “taxa de rendimento”, ela é definida no ato da compra.

Por outro lado, a renda variável é a que se segue pela bolsa de valores, pois não existe uma renda fixa, o que quer dizer que a rentabilidade desse investimento pode variar e muito.

Como nesse meio existe a possibilidade de variação todos os dias, ele basicamente reflete as expectativas de quem investe nas organizações e no próprio país.

Sabendo disso, existe a possibilidade de ter um rendimento extremamente alto assim como extremamente baixo, não existe uma fórmula para prever isso.

Portanto, a dica é fazer as escolhas que julgue certas para você e investir cada vez mais em conhecimento sobre o mercado de investimento.

  1. Descubra seu perfil de investidor

A dica mais importante é descobrir quais as aplicações que mais combinam com você, e pra isso é preciso saber qual o seu perfil de investidor.

Os 4 tipos de perfis são:

  • Conservador;
  • Moderado;
  • Agressivo;
  • Arrojado.

Existem muitos testes online simples que podem ajudar a descobrir sua tolerância a risco e seu perfil de investidor. 

  1. Procure uma instituição financeira

É importante ter uma conta em alguma instituição financeira, para começar seus investimentos, o indicado é escolher instituições confiáveis e honestas.

Os bancos também são uma opção, mas costumam ter poucos produtos para se investir e oferecem taxas de rentabilidade não muito atrativas dependendo do investimento.

  1. Escolha bons investimentos

Na hora de tirar os objetivos, por exemplo, para adquirir sua empresa de divisória de ambiente gesso, do papel e começar a investir, é preciso fazer escolhas de bons investimentos, seguindo as dicas anteriores ficará fácil.

O indicado é tirar um tempo para focar nisso e decidir com calma no que vai investir e usar simuladores de investimentos para ajudar na escolha.

Considerações finais

Sendo assim, existe uma grande possibilidade de começar a mudar o destino do seu dinheiro criando o hábito de investir. 

Como também opções para todo tipo de pessoa, do conservador ao mais experiente. É importante entender o tempo e o momento do mercado financeiro, além de ter disciplina e paciência para lidar com a aplicação de investimentos.

Seguindo dicas básicas e úteis como as deste artigo, será possível atingir os objetivos sejam eles de curto, médio ou longo prazo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.