Vendas de armas nos EUA

Espera-se que 1.797.910 armas sejam vendidas em abril de 2020 – um aumento de 71,3% em comparação com abril de 2019. Walk teve uma expansão muito mais notável nos negócios, com 2.583.238 armas vendidas – ou 85,3% em relação ao ano anterior, conforme informações entregues na segunda-feira por Small Arms Analytics and Forecasting.

As informações da SAAF também demonstraram uma expansão na aquisição de armas de longo alcance, disse um representante da reunião.

Mark Oliva, representante da National Shooting Sports Foundation, que atende fabricantes de armas, disse que a NSSF chegou a números comparáveis, mas um pouco abaixo de 69,1%.

Uma das armas mais comprada lá, é a taurus ultra lite 380 que é uma arma muito fácil de manusear.

Dirigindo-se à FOX Business, ele disse que os números mostraram “o abril mais fundamentado já registrado”.

“Isso nos mostra que há um processo com desejo entre os americanos de ter a opção de acomodar sua própria segurança em meio à vulnerabilidade”. São compradores que viram seus estados anular as instalações de detenção. 

Em geral, os escritórios de polícia são dominados. Americanos decentes percebem isso e exercem seu direito de possuir uma arma de fogo e proteger a si mesmos e seus amigos e familiares”.

O New York Post revelou recentemente uma expansão na quantidade de indivíduos caçando, enquanto os americanos respondiam a objeções de deficiências alimentares concebíveis.

Igualmente relatados na segunda-feira foram os números de verificação de registro de armas do FBI, que mostraram 2,9 milhões de verificações durante um mês.

Outra arma que o povo costuma comprar é a rifle 22 cbc com luneta e silenciador, que é uma arma de maior porte.

O período de sete dias de 13 a 19 de abril está entre os 10 mais elevados desde que o quadro foi seguido em novembro de 1998. Durante essa semana de abril, o FBI realizou 766.739 verificações.

Os números de verificação de registros mensais do FBI, enquanto um mediador crítico de negócios de armas, também consolidam a permissão de armas, garante que são esperados em certos estados. 

Cada investigação pessoal também pode ser para a oferta de mais de uma arma.

À medida que os temores sobre a pandemia começaram a aumentar e os estados começaram a dar regras de permanência em casa, longas filas foram vistas enrolando alguns vendedores de armas de fogo e prateleiras dentro de munição. 

No meio de uma discussão sobre se as lojas de armas devem ser consideradas “fundamentais”, elas devem permanecer abertas. 

O medo de que as lojas de armas de fogo fechassem e que a queda monetária provocasse horror e preocupações de segurança ajudaram a abastecer a arma com pressa.

Oliva disse recentemente à FOX Business que durante um período de vulnerabilidade ultrajante, “os americanos precisam perceber que podem acomodar seu próprio bem-estar e a segurança de seus amigos e familiares”.

“Nossas liberdades não terminam durante uma pandemia”, disse ele. “Com certeza, a exigência de adultos confiáveis ​​e respeitáveis ​​para praticar suas liberdades é ampliada.”

A pandemia também provocou tensões entre os promotores do controle de armas de fogo e os defensores da Segunda Emenda. Favoráveis ​​aos grupos de armas disseram que os acordos de armas destacam que os americanos apoiam entusiasticamente a Segunda Emenda.

Por outro lado, ativistas de controle de armas disseram que a campanha de armas está energizando sentimentos de apreensão de benefícios expandidos e que mais armas disponíveis para uso levarão a uma expansão da brutalidade com armas de fogo.

Os negócios de armas de fogo também são lógicos, ajudados por altas históricas que acontecem durante os anos oficiais de corrida política, já que os proprietários de armas enfatizam que outra colheita de autoridades escolhidas levará a medidas de controle de armas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.