Vale a pena me tornar um MEI? Quais as vantagens?

Leia este artigo até o final você aprenderá se Vale a pena me tornar um MEI e Quais as vantagens e desvantagens que pode ter.

Se você sonha em abrir um negócio próprio e ter sua independência financeira, você veio ao lugar certo!

No post de hoje vamos te revelar a verdade sobre o MEI.

Mas primeiramente, você precisa saber o que é MEI.

O que é MEI?

A sigla MEI significa Microempreendedor Individual, e tem como objetivo formalizar o trabalhador autônomo, ou seja, legalizá-lo como um pequeno empresário e a possibilidade de ter um CNPJ.

O CNPJ é o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica ou uma identificação da sua empresa.

O governo criou essa categoria para que cabeleireiros, manicures, vendedores ambulantes, fotógrafos, entre muitas outras atividades pudessem regularizar seus negócios.

E estando regularizados, podem exercer suas atividades dentro das leis e consequentemente estão aptos para receber os benefícios que o Microempreendedor Individual tem direito.

Afinal, vale a pena me tonar  um MEI?

Para quem está pensando em se tornar um trabalhador autônomo ou já atua como um, a dica que damos é entender melhor todos os direitos e vantagens que você terá ao se tornar um MEI.

E de antemão não podemos deixar de ressaltar que vale muito a pena um novo empreendedor se tornar um MEI.

Ser MEI ou dono de uma micro empresa é indicado para quem trabalha por conta própria, como: artesão, cabeleireiro, pintor, dono de minimercado, doceiro, eletricista e vendedor de roupas.

Vantagens de ser MEI

Conheça algumas das vantagens que o trabalhador autônomo terá ao se tornar MEI:

  • Garante direito a serviços bancários, como empréstimo com juros mais baixos e cartão de crédito;
  • Pagamento mais simplificado de tributação, com valor mensal baixo referente ao INSS, ISS ou ICMS;
  • Possibilidade emitir nota fiscal;
  • Acesso e apoio técnico do Sebrae para o desenvolvimento de negócios;
  • Oportunidade de vender produtos e serviços para o governo;
  • Ter um CNPJ sem burocracia ou custo;
  • Direito a benefícios previdenciários, como auxílio-doença, aposentadoria e salário maternidade.

Quem pode ser um MEI?

Qualquer trabalhador autônomo, que presta serviços ou vende produtos, pode ser um MEI, desde que o seu faturamento não ultrapasse o valor de R $81 mil por ano.

Entretanto, para se enquadrar para essa modalidade, o trabalhador autônomo precisa atender a algumas outras exigências:

  • É preciso ser maior de 18 anos 
  • Sua área de atuação precisa constar na lista para microempreendedor individual do CNAE
  • Além disso, o MEI pode contar no máximo com um funcionário que receba um salário mínimo
  • O titular do CNPJ não pode ser sócio de outra empresa.

O MEI precisa de contador?

Não é obrigatório contar com um contador, uma vez que a legislação não exige isso. 

Entretanto, é importante entender que o microempreendedor individual precisa manter um planejamento do seu negócio sempre bem organizado.

Você pode contar com a ajuda de uma pessoa honesta, organizada e que goste de fazer contas.

Mas lembre-se, de que a legislação exige que, para o recebimento de todos os seus benefícios, os pagamentos das obrigações fiscais precisam estar em dia.

Obrigações como o DAS MEI e o DASN SIMEI. 

Sabemos que a maioria dos novos empreendedores não possuem um capital para essa finalidade, mas, como dissemos acima, não é obrigatório, mas é muito importante contar com a ajuda de um profissional capacitado.

Além de tirar uma preocupação dos seus ombros, contar com a ajuda de um contador é importante pois ele está por dentro das leis e das informações necessárias que você irá precisar.

Quem não pode ser MEI?

  • Funcionários públicos;
  • Estrangeiros com visto brasileiro provisório;
  • Proprietário titular ou sócio de outra empresa;
  • Negócios com faturamento mais de R$ 81 mil por ano;
  • Pessoas que recebem seguro desemprego ou pensão do governo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.