Romero Albuquerque faz cobranças a Câmara para tentar evitar o aumento do preço da gasolina

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado estadual Romero Albuquerque voltou a fazer críticas à alta no preço do combustível.

O discurso de Romero foi mais incisivo quando fez críticas e cobrou medidas para a redução do preço da gasolina, e consequentemente o impacto que essa alta traz a população.“Existe uma necessidade social que precisa ser atendida o mais rápido possivel’’.

Ele lembra que vários fatores contribuem para a crise dos combustíveis. “O petróleo atrelado ao mercado internacional, a inflação fora de controle, a composição do preço da gasolina e a base de cálculos. 

Medidas precisam ser tomadas com urgência, pois quem sente mais esse aumento, é a população mais carente”, conclui o deputado.

Em busca de que o Governo de Pernambuco execute medidas para evitar o aumento do preço dos combustíveis, o deputado Romero Albuquerque tem trabalhado constantemente e anunciou que encaminhará ao governador Paulo Câmara um pedido pelo congelamento da atualização do PMPF, que quer dizer, Preço médio Ponderado ao Consumidor Final pelos próximos meses.

Na prática, o Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final produz a base de cálculo para a cobrança sobre as ações relativas ao ICMS sobre o preço dos combustíveis, são revisados a cada 15 dias através de pesquisas realizadas pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis sobre os preços praticados pelos postos.

Para Romero Albuquerque, a adoção da medida será mais efetiva do que reduzir a alíquota do ICMS. “Em um ano, o preço da gasolina registrou um aumento superior a 40%. 

Mesmo que em alguns estados não tenham tido nenhum aumento do ICMS, a população sofre por não haver medidas eficazes”, diz Romero.

O deputado ainda explicou que o imposto dos combustíveis é cobrado sobre o valor de venda ao consumidor, por isso defende que o PMPF seja congelado em Pernambuco, seguindo o exemplo do Governador do Espírito Santo fez em seu estado.

Albuquerque também pediu a não incidência do ICMS sobre a bandeira da escassez hídrica, que gera um custo adicional de R $14,20 para cada 100 kWh consumidos.

Foram 107 projetos de leis propostos por Romero Albuquerque, 2.586 requerimentos registrados sem nunca faltar uma sessão. 

Essas ações deram o título de deputado mais atuante do Brasil, segundo um Portal de Brasília.

Para o deputado, as acusações e ataques às instituições, afastam o interesse de grandes empresários de investir no País. 

Romero Albuquerque tem trabalhado bastante para honrar cada voto que recebeu, já foram 107 projetos de leis propostos por 2.586 requerimentos registrados sem nunca faltar uma sessão. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.