gestão financeira

05 Dicas de gestão financeira para imobiliárias

Ter uma gestão financeira pode contribuir para que um empreendimento se mantenha com um bom capital, mesmo em meio a investimentos em outras áreas, e que esteja preparado para épocas de crise dentro do mercado. 

Como uma forma de fazer com que um empreendimento possa ter sucesso, e ainda a longo prazo, a gestão é um conjunto de processos que pode dar potência para os investimentos da empresa e também, acabar aumentando seus lucros. 

Por isso, se uma empresa de prestação de serviços de limpeza para condomínios estiver começando e adotar medidas de boa gestão financeira, o desempenho que o negócio terá, irá garantir um crescimento e uma boa eficiência nas realizações dos serviços.

Contudo, alguns empreendimentos que estão no início de sua jornada dentro do mercado podem acabar achando complicações em determinados procedimentos.

Para isso, deve-se haver um estudo e planejamento de como entendê-los para executá-los. 

Tendo um grande objetivo de fazer com que as operações sejam saudáveis mantendo o equilíbrio de ganhar e melhorar os lucros que estão sendo obtidos, a administração acaba envolvendo análises e o controle do capital. 

Podendo ser aderido desde uma empresa de impermeabilização de piso externo, até uma empresa do ramo alimentício, a gestão financeira é uma boa oportunidade e técnica para se ter mais controle do que ocorre no montante da empresa. 

Os procedimentos de uma gestão financeira

Variando de objetivo de uma empresa para a outra, a gestão financeira pode ser adotada em qualquer momento pelo empreendimento, tendo como base seus processos principais como:

  • Planejamento financeiro com metas definidas;
  • Controle de fluxo de caixa;
  • Gestão nas contas de pagamento e recebimento;
  • Emissão de nota fiscal;
  • Acompanhar e administrar o capital de giro;
  • Controle do estoque;
  • Apurar e analisar os resultados. 

Saber qual o objetivo do empreendimento é fundamental para que possam ser estabelecidas as metas das quais irão fazer as ações da empresa funcionarem, e para que esses objetivos se concretizem, é importante um plano financeiro. 

O controle de um fluxo de caixa é um dos procedimentos que pode fazer com que esse plano se torne mais rápido de ser feito e também, ter uma análise ainda maior envolvendo-os para saber o que deve receber mais investimento e o que deve ser revisto. 

Do mesmo modo que, as contas a pagar para fornecedores do material de uma persiana externa motorizada também devem constar no fluxo de caixa, criando assim, a base para saber o quanto teve com as vendas e fazer análises se há uma obtenção de lucro. 

Esses dados podem ser ainda mais fáceis de serem analisados e apurados com a emissão de notas fiscais, documentos que registram as vendas ou prestações de serviços que a empresa obteve, podendo ser arquivadas diariamente. 

Como em uma empresa que oferece serviços de motor para portão de correr rápido para um conglomerado, a saída de caixa de quem contratou o serviço acaba ficando registrada em notas fiscais.  

Tratando-se das finanças de um negócio, o controle do estoque também é algo que deve ser incluído dentro de uma gestão de finanças, isso porque são a quantidade de peças que estão disponíveis para vendas que podem determinar o quanto precisa ser vendido. 

Do mesmo modo que, se houver um bom controle de estoque, a empresa pode saber o que precisa ser produzido mais para suprir a necessidade que o cliente tem, incluindo o estoque de peças para fazer os serviços de raspagem de deck de madeira, por exemplo.

Todos os procedimentos que envolvem documentação e dados que demonstrem o fluxo de caixa da empresa, incluindo o capital de giro que está reservado, deve ser monitorado para que as estratégias possam ser estabelecidas. 

As análises desses procedimentos enquanto eles ainda estão ocorrendo, fazem com que a gestão financeira da empresa possa identificar onde há falhas para corrigi-las, de modo que, os lucros não sejam afetados. 

Gestão financeira: por que é importante?

Por estar diretamente ligada às finanças do empreendimento, esse modelo de gestão é importante para garantir que o negócio gire e possa se desenvolver dentro do nicho mercadológico que atua, bem como, ter um crescimento contínuo. 

Quando um negócio não tem controle sobre o setor financeiro, alguns problemas podem acabar afetando a empresa como a estagnação de resultados, altas dívidas, ou até mesmo em alguns casos, declaração de falência. 

Sem um controle de estoque, notas fiscais ou o fluxo de caixa, uma empresa não saberá como está sendo o seu andamento e isso pode fazer com que, em imprevistos ou épocas de crise, os prejuízos sejam grandes. 

Até mesmo microempreendedores devem saber separar as finanças da empresa com as pessoais, para que elas não se misturem e que não traga empecilhos no futuro.

Portanto, a gestão pode fazer com que um empreendimento saiba controlar e gerir melhor suas finanças, além de saber o que deve fazer e analisar para entender os procedimentos necessários em períodos de crise no mercado.  

Dicas para o setor imobiliário

Para uma imobiliária que está planejando estabelecer uma gestão financeira, é importante que algumas dicas possam ser estudadas para tornar o plano ainda mais assertivo. 

01. Indicador de desempenho

Sendo uma ferramenta que pode contribuir para saber o que está crescendo e melhorando dentro de uma empresa que realiza a montagem e desmontagem de moveis planejados, por exemplo, os indicadores de desempenho também podem ser usados em finanças. 

Por meio dele, uma imobiliária pode traçar metas para o que fazer no futuro, levando em conta a atual situação da qual o negócio se encontra. 

Os indicadores de desempenho podem estar ligados ao número de visitas, quem se torna cliente, o quanto foi vendido e o tempo que levou para o fechamento do contrato, bem como, aqueles que estão passando pela jornada de compra. 

Não somente ligado aos consumidores, alguns desempenhos podem estar também ligados aos funcionários da imobiliária de modo que esses dados contribuem para que novas estratégias de abordagem e de vendas possam ser feitas ou reformuladas.

02. Sistema de cobrança efetivo

Ter um controle das finanças também requer um controle sobre o que irá entrar no caixa da empresa. No vaso de imobiliárias, é preciso que os clientes tenham acessos às cobranças de modo rápido quando se trata de locação, para que possam se programar. 

Para isso, a automatização deste setor deve ser bem tecnológica para que tanto pagamentos antecipados como em atrasos sejam identificados. 

03. Separar o pessoal do empresarial

Toda a empresa não deve misturar os caixas pessoais e os de finanças, seja ele um microempreendedor que realiza tratamento de piso de concreto, como uma imobiliária que possui um bom tempo de atuação no mercado. 

Essa separação faz com que, em tempos de crise, ambas as finanças possam ser analisadas por ângulos diferentes e assim, saber o que deve ser feito para cada um dos casos. 

No caso de imobiliárias, o caixa da empresa e o de quem a gere não devem ser misturados para facilitar a administração e com isso, todos os pagamentos referente a instituição devem ir diretamente para o respectivo caixa.

04. Previsão de receitas

Ter um acompanhamento do mercado acaba contribuindo para saber o melhor momento de realizar a construção de piscina de concreto, por exemplo, principalmente quando se trata de um setor que pode sofrer quedas e altas como o imobiliário. 

Com isso, o capital de giro se torna ainda mais importante de ser controlado para que, em casos graves, a imobiliária não sofra tanto com as quedas que o mercado irá sofrer.

Prever receitas também ajuda a eliminar os gastos desnecessários, ao ponto de que, também pode demonstrar o que requer maiores investimentos para que possam funcionar de modo duradouro e com bons resultados. 

05. Usar meios tecnológicos 

Um empreendimento ao usar a tecnologia ao seu favor, pode acabar contribuindo para que a gestão financeira se torne mais fácil de ser feita e monitorada com a ajuda de planilhas ou então, de ferramentas de softwares.

Quanto mais um empreendimento do ramo imobiliário utilizar a tecnologia ao seu favor, maiores são as chances dos resultados serem positivos e assertivos dentro da gestão financeira. 

Considerações finais 

Portanto, uma empresa que realiza gestões financeiras pode acabar se preparando melhor para períodos de crise, tanto do mercado como também do próprio empreendimento, porque há dados e documentos que permitem identificar o que está errado para corrigir. 

Os procedimentos das gestões incluem notas fiscais, controle de fluxo de caixa e de estoque, bem como, um acompanhamento do que está sendo feito com as finanças para o que entra e o que sai da empresa, possa ser controlado. 

Sendo uma estratégia que pode ser usada em todos os setores e por empresas de pequeno ao grande porte, a gestão financeira é um recurso que ao ser bem estudada e administrada, pode trazer grandes resultados. 

Incluindo dentro do ramo imobiliário, onde com sistemas de cobranças efetivos e também, a tecnologia que o negócio utiliza, podem fazer com que a gestão financeira se torne um ponto forte que acabe dando um crescimento dentro do setor. 

Separar a gestão financeira da pessoal é importante para que os procedimentos possam trazer bons resultados para a empresa e por meio dele, haja um crescimento envolvendo consumidores e o destaque da concorrência. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.